Câncer de mama durante a gestação

É possível ter câncer de mama durante a gestação?

O câncer de mama durante a gestação é considerado um evento raro, correspondendo a 0,1% de todas as neoplasias malignas. Entretanto, é uma das neoplasias malignas mais comumente diagnosticadas na gestação. Ele pode ser definido como câncer diagnosticado durante a gravidez, ou até um ano após o parto ou em qualquer período da amamentação.

Dados históricos, de série de casos, mostram uma incidência de 1 em 3.000 gestantes. Acredita-se que esta incidência tem aumentado por causa do adiamento da gestação, cada vez mais frequente após os 35 anos.

Existe quase sempre um conflito entre o tratamento ideal para a mãe com câncer de mama e o bem-estar do feto, levando à necessidade de uma equipe médica multidisciplinar para formular e implementar o adequado tratamento.

Diagnóstico

Existe um aumento do volume da consistência das mamas na gravidez, o que torna o exame físico cada vez mais difícil à medida que a gestação evolui. Toda gestante deveria ter o exame físico das mamas como parte da rotina obstétrica. Além disso, a primeira consulta é uma boa oportunidade de triagem, uma vez que nesta fase as mamas ainda sofreram poucas alterações fisiológicas.

À semelhança da mulher não grávida, a apresentação clínica mais comum é a de um tumor palpável, indolor ou espessamento glandular.

A mamografia pode ser realizada a qualquer tempo da gestação, desde que com a devida proteção abdominal. Doses de radiação inferiores a 5 rad, como no caso da mamografia, em que a dose de exposição estimada é de 0,4 mrad, não oferecem risco de malformações fetais.

Mesmo apresentando sensibilidade reduzida para 70% durante o ciclo gravídico-lactacional, ainda é considerada o melhor método na avaliação de microcalcificações. Isso quer dizer que ela não deve deixar de ser realizada.

Ultrassonografia

A ultrassonografia mamária possui sensibilidade e especificidade, além de não oferecer riscos ao feto. Isso significa que o exame continua sendo considerado o melhor método para a avaliação de nódulos mamários na gravidez.

A ressonância magnética das mamas é contraindicada na gestação. Isso se deve em razão da impossibilidade do uso do gadolínio pela exposição do feto a risco e por não trazer benefício diagnóstico com seu uso sem contraste.

A biópsia percutânea é considerada padrão ouro no diagnóstico histopatológico dos nódulos mamários considerados suspeitos na gestação. A core biópsia (core biopsy), por sua facilidade de execução e baixos índices de complicação, é considerada método escolha. Possíveis complicações como fístula láctea, são geralmente superestimadas, com poucos relatos na literatura. Embora a punção por agulha fina possa ser usada, os riscos de falsos-positivos e falsos-negativos podem ser altos. Como resultado, levando à indicação de complemento com core biópsia na maioria dos casos.

Confira o conteúdo completo no nosso livro Câncer de Mama: Uma Filosofia de Tratamento: Breast Unit Barretos – (BUB)Visite nosso site e compre o livro!

Compre seu livro de Ginecologia e Obstetrícia com 40% de desconto. Clique aqui e saiba como.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *