Aprendizagem

O que são transtornos de aprendizagem?

Por nossos sentidos percebemos o mundo externo e interno. Em nosso sistema nervoso, estas informações são avaliadas, codificadas, comparadas com o substrato preexistente, armazenadas e posteriormente recuperadas. A aprendizagem é o processo por meio do qual estes estímulos internos ou externos produzem mudanças no perfil de resposta de um indivíduo, em um determinado contexto. Estas mudanças são reveladas são reveladas por ações, pensamentos, verbalizações de tarefas. Implica, portanto, em modificação transitória ou permanente de circuitos neurais. Quando ocorrem mudanças duradouras, ampliando ou reduzindo as conexões neurais envolvidas em determinada atividade, temos a neuroplasticidade. Estas modificações podem ser mais ou menos efetivas por influência da intensidade e repetição do estímulo, pelo funcionamento dos componentes neurobiológicos envolvidos (aferências sensoriais e sistema nervoso), por fatores psicoemocionais e socioculturais associados e pela integração desta informação com outras q tenham significado para o aprendiz.

A aprendizagem é um processo individual, evolutivo e contextualizado. Aprender não é um processo totalmente racional: sentimos, por isso aprendemos! Dificilmente o aprender de um indivíduo será idêntico ao aprender de outro.

Transtornos de Aprendizagem

O transtorno de aprendizado é uma alteração neurobiológica, inata, permanente e específica na aquisição de habilidades escolares básicas de leitura, escrita e/ou matemática. Predomina no gênero masculino. O desempenho para estas atividades encontra-se muito abaixo da média esperada para a idade, para o nível de desenvolvimento de escolaridade e a capacidade intelectual. O quadro persiste por pelo menos 6 meses, apesar de intervenções específicas para estas disfunções. Devem prejudicar as atividades cotidianas, o desempenho acadêmico ou profissional , devendo ser confirmado por avaliação clínica abrangente e medidas de desempenho padronizadas.

As dificuldades geralmente se iniciam precocemente na escola, mas podem ser manifestadas em situações de alta demanda, como restrição do tempo para execução de uma atividade e na produção e leitura de textos complexos e longos. Neste último caso, o desempenho nas habilidades acadêmicas, muitas vezes mediano do indivíduo, é geralmente mantido somente com intenso esforço ou apoio, havendo atitudes de evitar atividades que exijam essas habilidades.

Não devem existir outras alterações que justifiquem o quadro, tais como deficiência intelectual, atraso global do desenvolvimento, problemas psicossociais, neurológicos, motores ou mentais, perda auditiva ou visual não corrigidas, falta de proficiência na língua, desvantagem econômica ou ambiental, absenteísmo crônico ou falhas na instrução educacional.

Existe alteração neurológica restrita à algumas funções, especialmente às ligadas às percepções auditiva e visual e às associações visuomotoras, visuoauditivas e auditivo-motoras; disfunção nos processamentos visual e auditivo.

 

Confira o conteúdo completo no livro Tratado de FoniatriaVisite nosso site e compre agora!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *